Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Barcelona 4-0 AC Milan: Messi com fumo branco em Camp Nou

Barcelona 4-0 AC Milan: Messi com fumo branco em Camp Nou

FC Barcelona v AC Milan - UEFA Champions League Round of 16

Começou ontem o conclave no Vaticano. Espera-se pelo fumo branco para proclamar o sucessor de Bento XVI. Entretanto, estava na hora de ver se o que ia sair da segunda mão dos oitavos-de-final da Liga dos Campeões entre Barcelona e AC Milan. Completamente encostados às cordas, os catalães não sabiam se o fumo que ia sair de Camp Nou seria branco ou negro. Ora… Branco como a neve, pelos pés do Papa Messi.

A tarefa era de alto grau de dificuldade: dar a volta a uma desvantagem de 2-0, trazida de Milão. Para se ver como era difícil, apenas quatro equipas haviam conseguido feito semelhante em competições europeias. Mas esse número alargou-se para cinco, depois o conjunto culé ter sido absolutamente magistral para golear os rossoneri por claríssimos 4-0, que garantem a qualificação para os quartos-de-final.

Rapidamente se percebeu a toada do encontro. Messi entrou decidido a apagar pálida imagem que deixou em San Siro e, cinco minutos depois do apito inicial, entre cinco jogadores do Milan, a Pulga inaugurava o marcador. Pouco depois, o argentina servia Iniesta para ver Abbiati empurrar a bola para a trave. Messi teve reflexos rápidos mas o cabeceamento saiu desviado para as malhas laterais.

Cheirava-se mais um golo. Xavi, enorme, obrigou o guarda-redes italiano a uma defesa de levantar o estádio – que se teria levantado, ou não fossem 90.000 culés -, mas foi dos pés do jovem Niang que podia ter chegado um golpe fatal. No meio da incapacidade ofensiva do Milan, Mascherano errou e o avançado de 18 anos ficou cara a cara com Valdés, apenas para atirar ao poste.

Se fosse golo, era preciso o Barcelona arrancar para marcar mais três. Até acabaria por marcar, mas fica no ar o “se”. É que quem não mata, morre. Ou começa a morrer. E foi isso que aconteceu quando Messi (quem mais?), mesmo a fechar a primeira parte, empatava a eliminatória. O fumo começava a ser menos negro, o conclave estava quase a terminar.

Alba decisivo a atacar e a defender

As equipas voltavam do balneário e o perfume culé continuou a ser o mais forte. Tão forte que, aos 55 minutos, estava a reviravolta na eliminatória consumada. David Villa encheu o pé esquerdo e fez o 3-0, colocando o Barcelona a caminho de imitar o que fez contra o Chelsea nos quartos-de-final da edição de 1999/2000 e de condenar o Milan à segunda remontada negativa numa eliminatória, depois de o Deportivo ter virado um 1-4 para 4-0 nos quartos-de-final de 2003/2004.

Mas foi preciso sofrimento. Afinal de contas, é sempre preciso, não é? A matreirice italiana tentou finalmente espreitar e entrar no jogo, com Bojan a deixar para trás Piqué e a quase oferecer o golo a Robinho, que viu Alba a ser gigante ao salvar o 1-3. E foi o mesmo Alba que fez o 4-0 e acabou toda e qualquer dúvida sobre quem iria seguir para os “quartos”.

Tudo parecia indicar que o Barcelona ia ficar “reduzido” à La Liga, já na gaveta, mas a Europa vai continuar a ter de lidar com o tiki-taka. O fumo ficou branco, talvez até com uns toques azuis, tal e qual a bandeira argentina. Uma grande dose de Messi, o requinte de Xavi e a sobremesa de Alba selaram o triunfo.

Confira os golos da vitória culé:

Comentar