Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Borussia Dortmund 1-1 Augsburg | Boa segunda parte não emenda erros da primeira

Borussia Dortmund 1-1 Augsburg | Boa segunda parte não emenda erros da primeira

Crise instalada em Dortmund?

O Borussia Dortmund continua sem vencer na Bundesliga. Depois de, na última sexta feira, os aurinegros terem empatado a duas bolas no terreno do Hoffenheim, desta vez foi o Augsburg a travar as ambições do clube que joga no Signal Iduna Park (1-1).

No final da partida, os adeptos do Borussia Dortmund assobiaram a equipa

Desde os primeiros minutos que o Borussia Dortmund manifestou grandes dificuldades em penetrar na defensiva adversária, o que se deveu não só à boa organização do Augsburg, mas também a uma falta de criatividade gritante da parte dos jogadores da casa para desenvolverem jogadas. Assim, os primeiros sinais de perigo surgiram de longe. Primeiro, aos 9 minutos, Mario Götze ameaçou o golo com um bom remate de longe que veio a embater na parte exterior do poste da baliza defendida por Marwin Hitz. Depois, foi Aubameyang a estar perto do golo, ao obrigar o guardião adversário a uma boa defesa na conversão de um livre direto.

Apesar dos dois lances de perigo criados no início, era evidente que o Dortmund não estava bem. O Augsburg parecia confortável na partida, apresentando-se com os setores muito juntos, o que, logicamente, dificultava o ataque baseado nos apoios frontais que é a imagem de marca do seu adversário. Associado a isso, o BVB insistia em jogar pelo centro do terreno, desaproveitando a largura conferida tanto por Schmelzer, como por Pulisic.

Este panorama favoreceu o crescimento do Augsburg na partida, que soube tirar partido da desinspiração do seu adversário, que cometia erros infantis e nada habituais na fase de construção, o que muito se devia à pressão exercida sobre Weigl, que mal conseguia pegar na bola.

Deste modo, e já depois de ter ameaçado em lances de bola parada, o Augsburg chegaria mesmo ao golo, aproveitando um mau passe de Bartra  e a passividade de toda a equipa que veste de amarelo e preto para lançar um contra-ataque letal concluído por Ji Dong-Won, que fazia, assim, o 1-0, para grande choque de todos os presentes nas bancadas. Estavam decorridos 33 minutos.

Após o golo do Augsburg, o Borussia Dortmund tentou reagir. No entanto, a resposta foi pouco categórica, com Aubameyang a falhar de forma incrível o golo, isto na sequência de um cabeceamento muito torto. Antes do intervalo, os da casa ainda reclamaram uma grande penalidade, mas a verdade é que o resultado não se alterou mesmo até ao regresso aos balneários.

Ao intervalo, o Augsburg vencia surpreendentemente no Signal Iduna Park (1-0)

Na segunda parte, o filme foi bem diferente. Aparentemente insatisfeito com a exibição de Marc Bartra – que, efetivamente, protagonizou uma noite para esquecer – Tuchel lançou Bender em campo, implementando um sistema de quatro defesas. Neste caso, pode dizer-se que a substituição teve um impacto quase imediato, isto na medida em que, aos 47 minutos, Ousmane Dembélé – que foi o melhor da sua equipa, diga-se de passagem – restabeleceu a igualdade, no seguimento de uma excelente combinação com Shinji Kagawa.

Dois minutos depois do golo, o Dortmund voltou a pedir penalty, após Mario Götze ter sido derrubado na grande área adversária. Não atendendo aos protestos, o árbitro mandou seguir e, no contra-golpe, o Augsburg podia muito bem ter-se adiantado de novo no marcador, não fosse Ji Dong-Won atirar ao lado, naquele que teria sido um golo de bandeira. Na resposta, Pierre-Emerick Aubameyang esteve perto de marcar, desferindo um remate à meia volta que saiu à figura do guarda-redes.

Um primeiro quarto de hora do segundo tempo frenético mostrava que o Dortmund vinha com outra alma dos balneários, mas a verdade é que, pese embora o facto de o conjunto caseiro ter conseguido penetrar com maior facilidade no seu oponente, não surgiram grandes oportunidades de golo até ao final da partida.

Aos 81 minutos, e para grande surpresa de todos, Tuchel retirou Dembélé do jogo (!) e fez entrar André Schürrle, quase que “matando”, deste modo, a capacidade atacante da sua equipa.

Em suma, este foi mais um jogo pobre da parte do Borussia Dortmund, onde a boa segunda parte não foi suficiente para compensar a pobreza da primeira. Os aurinegros podem, desta forma, ficar ainda mais longe do primeiro lugar, em caso de vitória do Bayern ou do Leipzig no confronto entre ambos. Depois de ter prometido muito nos primeiros jogos desta temporada, a equipa de Thomas Tuchel parece, agora, vacilar. Estará instalada uma crise no gigante germânico?

Esta noite, mais de 81.000 pessoas deslocaram-se até ao Signal Iduna Park

Comentar