Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Carlos Queiroz Dixit

Carlos Queiroz Dixit

“Vai haver luta até ao fim. Quem tiver mais fôlego, carácter e confiança em si mesmo garantirá a presença no Mundial A vida é sofrer. Por aquilo que se viu hoje, também pelos resultados da Suécia e da Dinamarca, este é um grupo muito apertado. Às vezes, em futebol, é difícil conciliar as boas exibições com os bons resultados. Mas, como tinha dito antes desta partida, ganham-se os jogos não sofrendo golos. Foi isso que aconteceu. O primeiro passo era não sofrer um golo, porque, de uma maneira ou outra, íamos marcar aqui.
Defrontámos uma Hungria muito fechada, que continuou a jogar da mesma forma mesmo quando sofreu o golo. Pensávamos que iriam abrir o jogo, mas plantaram todos os jogadores no meio campo e ficaram na expectativa. Estiveram 11 jogadores à frente da baliza quase o jogo todo. Foi preciso muita concentração. No final, agarrámo-nos a todos os argumentos para defender o resultado. Não foi um grande jogo. Se a Hungria não saía lá de trás, porque haveríamos nós de entregar a bola ao adversário lá na frente? Passámos a chamar o adversário e a tentar o contra-ataque. Só foi pena não termos feito o 2-0 nas oportunidades que o Cristiano Ronaldo teve. Dessa forma, teríamos evitado aqueles últimos cinco minutos de pressão do adversário”

Comentar