Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Chelsea 3-0 Bournemouth | Líderes intratáveis

O Bournemouth bem tentou roubar pontos na visita a Stamford Bridge, mas os Blues não deram quaisquer hipóteses para que isso acontecesse.
Futebol / Chelsea 3-0 Bournemouth | Líderes intratáveis

O Chelsea segue imparável no topo da Premier League e, esta segunda-feira, alcançou nova vitória, desta feita frente à equipa do Bournemouth (3-0). Os perdedores até dominaram a posse de bola, mas a criatividade atacante da turma de Antonio Conte acabou por se revelar decisiva no desfecho do encontro.

Pedro Rodríguez esteve em destaque ao bisar no encontro

Com o estilo de posse de bola do Bournemouth de Eddie Howe a ditar o ritmo de jogo, o Chelsea teve dificuldades em criar perigo nos primeiros minutos do encontro. Ambas as equipas trocavam a bola de forma rápida e a partida jogava-se com grande intensidade, mas acabava por haver uma grande disputa a meio-campo, que impedia a chegada à área adversária de parte a parte.

Consequentemente, viria a ser apenas com o golo de Pedro, à passagem do minuto 24, que se desatou o nó: Eden Hazard – que esteve, novamente, em grande plano – deu para Cesc Fàbregas – hoje titular no lugar do castigado N’Golo Kanté – que descobriu Pedro com um passe curto mais difícil de executar do que se pensa; de frente para a baliza, o internacional espanhol puxou dos galões e desferiu um remate cheio de efeito direcionado para o ângulo superior da baliza defendida por Boruc, que nada pôde fazer para deter o promissor disparo.

Com 1-0 no marcador, houve, como referido, maior espaço para jogar, muito devido ao risco corrido pelos visitantes, que tentavam repor a igualdade no marcador. Assim, os Cherries poderiam mesmo ter chegado ao empate aos 27 minutos, não fosse Courtois opor-se com grande categoria a um remate à queima-roupa. Pouco depois, aos 31 minutos, registou-se nova oportunidade para o lado do Bournemouth: Wilshere viu-se em posição frontal, atirou com convicção, mas a bola acabou por esbarrar na sólida defesa do Chelsea, que poupou Courtois a um esforço que, possivelmente, poder-se-ia revelar inglório, isto na medida em que o remate parecia levar mesmo selo de golo…

Certamente ciente dos estragos que o Bournemouth poderia causar, o que se tornou particularmente evidente depois das duas oportunidades soberanas desperdiçadas, o Chelsea voltou à carga e esteve perto do 2-0 quando, aos 36 minutos, Fàbregas cobrou um livre a cerca de escassos vinte metros da baliza que saiu a rasar a trave da baliza.

Não obstante as chances de golo criadas, as duas equipas regressaram aos balneários com o 1-0 no marcador.

O momento do 1-0

A segunda parte começou da pior maneira possível para o Bournemouth, que via Simon Francis cometer uma falta evitável dentro da área sobre Eden Hazard, a qual o juiz da partida foi perentório a assinalar. Na conversão, o mesmo Hazard não tremeu e rematou com grande tranquilidade para o canto inferior da baliza adversária, não dando hipótese de defesa a Boruc, que se atirara para o lado contrário.

Com o segundo golo, logicamente que os forasteiros se foram muito abaixo, o que permitiu o crescimento dos Blues, que poderiam ter dado maior expressão ao resultado aos 59 minutos, altura em que Willian finalizou uma bela jogada de envolvimento atacante com um disparo forte que forçou Boruc a uma intervenção de grande nível. Dois minutos depois, foi Victor Moses a ameaçar o 3-0, isto na sequência de um remate em posição frontal que passou a rasar o poste esquerdo da baliza adversária.

Possivelmente na única oportunidade de golo clara criada pelo Bournemouth na segunda parte, o gigante belga Thibaut Courtois protagonizou a parada da noite, ao deter de um modo absolutamente sensacional a tentativa de Afobe. Estavam decorridos 73 minutos de jogo.

Quando já todos esperavam pelo apito final, eis que surge o inevitável Pedro Rodríguez a fazer o 3-0: após uma jogada individual incrível, o jogador espanhol rematou, o esférico desviou num defensor adversário e, desta forma, enganou Boruc, que, já no chão, viu, impotente, a bola beijar as suas redes.

Terminado o desafio, Stamford Bridge levantou-se para aplaudir em coro a sua equipa, que somou a 12.ª vitória consecutiva no campeonato inglês e que continua imparável.

12 vitórias consecutivas… Quem para este Chelsea?

Comentar