Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Chelsea 5-0 Everton | Uma viagem até ao céu

Chelsea 5-0 Everton | Uma viagem até ao céu

Chelsea's Belgian midfielder Eden Hazard (R) celebrates after scoring the opening goal of the English Premier League football match between Chelsea and Everton at Stamford Bridge in London on November 5, 2016. / AFP / Ben STANSALL / RESTRICTED TO EDITORIAL USE. No use with unauthorized audio, video, data, fixture lists, club/league logos or 'live' services. Online in-match use limited to 75 images, no video emulation. No use in betting, games or single club/league/player publications. / (Photo credit should read BEN STANSALL/AFP/Getty Images)

Eden Hazard voltou a ser agraciado com o prémio de melhor em campo – o terceiro seguido para o belga

Novo jogo, nova vitória. O Chelsea segue imparável na Premier League e somou hoje o quinto triunfo consecutivo na competição, totalizando 16 golos marcados e nenhum sofrido (!) na última meia dezena de desafios. Esta tarde, nem o Everton de Ronald Koeman foi capaz de neutralizar uma motivadíssima equipa dos Blues, que acabou por vencer por números de semelhante expressão com relativa tranquilidade.

Em relação à última partida, o conjunto de Londres não apresentou qualquer alteração no onze inicial, contrastando com uma equipa do Everton que subiu ao relvado com cinco alterações. Assim, Robles deu lugar a Stekelenburg na baliza, Jagielka e Funes Mori entraram para o setor mais recuado do terreno, que, hoje, se dispôs numa linha de cinco, ao passo que Mirallas foi o sacrificado na frente para que essa alteração ocorresse. De referir ainda a ausência de Idrissa Gueye, elemento fundamental no meio-campo da sua equipa, neste duelo.

_92291882_costa_goal_hero_getty1

Diego Costa é o melhor marcador do campeonato inglês, com nove golos apontados em 11 partidas

Após mais uma exibição das mil e uma noites, o Chelsea vai mostrando cada vez mais argumentos para que seja considerado, definitivamente, como um candidato ao título de campeão inglês.

A tendência da partida foi sempre a mesma desde o apito inicial até ao final – o Chelsea encostou impiedosamente o Everton às cordas, nunca tendo permitido ao adversário assumir a iniciativa de jogo. Nos primeiros minutos, os visitantes ainda deram um ar de sua graça, dividindo minimamente a posse de bola, mas a verdade é que toda a classe dos homens orientados por Antonio Conte acabou por se fazer sentir, desequilibrando a balança de um modo por demais evidente.

Chelsea manager Antonio Conte, centre, congratulates Cesar Azpilicueta, left, and Marcos Alonso, right, after the English Premier League soccer match between Chelsea and Everton at Stamford Bridge stadium in London, Saturday, Nov. 5, 2016. Chelsea won the match 5-0. (AP Photo/Kirsty Wigglesworth)

Antonio Conte vive uma fase incrível enquanto técnico do Chelsea 

Assim, os da casa chegaram à vantagem bem cedo, mais concretamente aos 19 minutos, quando Hazard concluiu da melhor maneira uma excelente jogada individual no flanco esquerdo do ataque, rematando cruzado para o fundo das redes. Apesar de o belga ter apontado um golo inegavelmente bom, Stekelenburg não ficou isento de culpas no lance, aliás, como também não ficaria poucos segundos depois, no lance do 2-0, quando Pedro cruzou para Marcos Alonso atirar a contar, por entre as pernas do guardião holandês.

Numa questão de segundos, havia-se passado de um nulo, não para um 1-0, mas antes para um 2-0, acaso este que, naturalmente, fez muitos começarem a pensar na goleada que se veio a verificar. Até ao final da primeira parte, o Chelsea chegaria ainda ao 3-0. Consequentemente, à passagem do minuto 42 e na ressaca de um canto, Diego Costa rematou com convicção para o fundo das redes, beneficiando ainda assim do fora de jogo posicional de David Luiz, que poderá, eventualmente, ter impedido o guarda-redes adversário de se fazer ao lance da melhor forma. Apesar da goleada que já se verificava ao intervalo, os números poderiam ter sido, de facto, ainda mais expressivos, não fossem Victor Moses e Diego Costa desperdiçar duas ocasiões flagrantes.

3a18bd6c00000578-3908724-image-a-35_1478374063661

A alegria de jogar é evidente na expressão dos jogadores do Chelsea

Na segunda parte, mais do mesmo. Os jogadores do Chelsea mantiveram os índices elevados, continuando a exercer uma pressão demolidora e extremamente desgastante sobre a equipa do Everton, que, pura e simplesmente, não conseguia sair a jogar. Deste modo, foi com naturalidade que, aos 56 minutos, os Blues chegaram ao 4-0, golo que surgiu de (mais) um rasgo de genialidade do renascido Eden Hazard, desta feita no flanco direito.

Pouco depois, aos 65 minutos, o Chelsea viria a sentenciar a partida, marcando o seu quinto golo: tudo começou na defesa, quando David Luiz fez um passe magistral para Diego Costa, que se encontrava em pleno grande círculo. Inspiradíssimo esta noite, o ponta de lança hispano-brasileiro tirou um adversário da frente com um pormenor técnico delicioso, correu uns bons vinte metros com a bola colada ao pé e, temporizando, entregou a bola a Hazard. Na conclusão da jogada, o médio-ala permitiu a defesa incompleta a Stekelenburg para uma zona onde apareceria Pedro a registar o seu nome na lista dos marcadores desta partida.

Até final, de referir apenas um lance de golo iminente aos 80 minutos, quando o recém-entrado Oscar descobriu Diego Costa com um passe fabuloso. Na sequência da jogada, o melhor marcador do campeonato inglês permitiu a defesa ao guarda-redes adversário.

4407

David Luiz tem calado os críticos, assumindo-se como uma peça cada vez mais fundamental na sua equipa 

Jogo após jogo, o Chelsea vai-se tornando num adversário cada vez mais temível, conjugando a grande qualidade a nível técnico-tático com a enorme entrega de todos os seus jogadores, que corporizam os ideais do seu fervoroso treinador Antonio Conte.

No desafio desta tarde, os Blues registaram alguns números especialmente impressionantes, destacando-se um único remate concedido, o que se torna deveras sensacional quando está em causa uma equipa com a qualidade do Everton. Para além disso, o conjunto que atua em Stamford Bridge atingiu a sensacional marca de cinco jogos seguidos sem sofrer golos na liga. De facto, estes são indicadores ilustrativos da competência defensiva que Antonio Conte tem sabido implementar na sua equipa, uma nuance que, aliás, foi um dos esteios da grande Juventus 2011-2014 e que promete voltar a ser decisiva num futuro muito próximo…

Classificação – de 0 a 10 – da performance dos jogadores que estiveram em campo, segundo o portal Sofascore 

Comentar