Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Entrevista a Fábio Martins, jogador do Desportivo de Chaves

Entrevista a Fábio Martins, jogador do Desportivo de Chaves

Fábio Martins joga no Chaves por empréstimo do SC Braga

Tem 23 anos é extremo esquerdo, está vinculado ao Sporting de Braga mas brilha a uns quilómetros da Pedreira. Fábio Martins tem sido uma das principais armas do recém-promovido Grupo Desportivo de Chaves que tem sido a grande sensação desta edição da Liga NOS. O Futebol Portugal esteve então à conversa com o jogador que demonstra estar bastante focado no bom momento que atravessa simultaneamente com o clube que o acolhe, pelo menos, até ao final desta temporada. 

O quão importante foi a sua passagem pelas camadas jovens do Porto para a formação do jogador que é hoje?

Muito importante. Fiz toda a minha formação no FC Porto e muito do que sei hoje foi lá que aprendi, visto que foram 13 anos. Cresci imenso tanto como jogador como pessoa.

Tem 23 anos e está numa excelente forma pelo Chaves. Acha que, algum dia, vai ser convocado para representar a Selecção Nacional?

Sinceramente não penso muito nisso, sou muito realista. Portugal está muito bem servido de extremos, tanto em qualidade como em quantidade. Estou numa boa fase, e quero aproveitar essa fase o máximo de tempo possível. O resto virá por acréscimo porque só com trabalho e dedicação é que as coisas boas surgem.

Qual foi a sensação quando viu o seu remate nas redes de Rui Patrício?

No momento nem pensei bem no que tinha feito, porque é tudo uma questão de segundos, marcar, festejar e voltar a focar porque o jogo continua. Só no final quando consegui ver o golo é que comecei a digerir tudo e percebi que de facto tinha sido um excelente golo e é claro que fiquei muito feliz.

Ambiciona um dia jogar num dos 3 grandes (talvez no FC Porto, onde fez a sua formação)?

Como disse anteriormente, não penso nisso, não sou de pensar muito no futuro. Estou focado em fazer o meu trabalho bem em Chaves, e felizmente, as coisas têm corrido bem nesse sentido. Como é óbvio todos os jogadores ambicionam jogar nos melhores clubes, eu não fujo à regra, mas agora estou em Chaves e focado em fazer as coisas bem aqui.

Está emprestado pelo Braga. Acha que agora com Jorge Simão como treinador do Sporting de Braga merecia uma oportunidade no plantel dos Gverreiros?

Tenho as minhas ambições e como é óbvio, tendo contrato com o Braga, o principal objectivo é afirmar-me lá. Mas como já disse, este ano estou em Chaves e só penso em ajudar o Chaves na concretização dos seus objetivos. Quando esta época terminar começarei a pensar em Braga.

Com qual jogador e treinador que mais gostou de trabalhar até hoje?

No que diz respeito a jogadores, tenho alguns amigos de anos anteriores, mas este ano é um ano que me está a marcar bastante, pela qualidade de balneário que temos, e talvez por isso as coisas estejam a correr tão bem, damo-nos todos muito bem e isso ajuda muito. Quanto a treinadores, todos de uma maneira ou de outra me marcaram e ensinaram bastante, mas a ter de destacar um, destacava Fernando Valente que foi meu treinador no CD Aves, pela confiança que teve em mim, quando eu atravessava uma fase difícil, quando fui dispensado do FC Porto, foi uma pessoa que acreditou em mim e a quem estarei sempre grato por isso.

Quais as ambições do Chaves para esta temporada?

Desde o início que estabelecemos as metas para está época. No campeonato estabelecemos uma meta pontual, que passa por chegar aos 40 pontos. Na Taça de Portugal o objectivo sempre foi chegar à final e se possível ganhá-la. Felizmente estamos bem encaminhados para os dois objectivos.

A saída de Jorge Simão [ex-treinador, agora no Braga] causou estragos no plantel?

Uma mudança de treinador mexe sempre com a equipa. Felizmente fizemos esse luto rapidamente e percebemos que para as coisas continuarem bem teríamos que nos focar ainda mais e tentar perceber e assimilar as ideias do mister Ricardo Soares o mais rápido possível. Com um grupo como o nosso também fica mais fácil porque recebemos quem chega muito bem e facilitamos muito essa integração.

Está a um passo do Jamor . Acha que alcança a final e até mesmo a taça?

O objectivo desde o início da época é esse, aliás, não fazia sentido entrar numa competição como a Taça, uma competição a eliminar e não pensar chegar à final. Tivemos 4 jogos muito difíceis contra o União, Porto, Torreense e Sporting, conseguimos ganhar esses jogos e estamos nas meias finais com muito mérito. Agora temos 2 finais com o Guimarães e o objectivo é chegarmos à final.