Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Gritos de Revolta

Gritos de Revolta

“Não estamos a falar de um caso pontual. O erro faz parte do jogo – houve, aliás, outros erros de que fomos alvo nas outras 13 jornadas – mas o que não podemos achar normal, e no mínimo é estranho, é o conjunto de erros acumulados no último jogo, sempre em prejuízo do Braga. Isso faz-nos estar revoltados e levar este caso até às últimas consequências. (…) aconteceu um conjunto de lances, mais que os quatro que nos queixamos de uma forma mais vincada – o golo do David Luiz, a grande penalidade assinalada ao Mossoró e as duas não assinaladas sobre o Alan e o Matheus – e uma tendência manifesta durante todo o jogo de uma certa inclinação do campo e em que um dos pontos mais caricatos foi já no final da partida, em que o Renteria foi abalroado a 30 centímetros do fiscal de linha e não foi assinalada a respectiva falta – Carlos Freitas

“Foi um jogo em que existiu um assalto à mão armada protagonizado pelo senhor árbitro Paulo Baptista. O Sp. Braga foi espoliado durante os 90 minutos, onde tivemos uma arbitragem que quis inverter a verdade desportiva e fez com que um clube que não merecia ganhar ganhasse e aquele que merecia acabasse por perder. O que aconteceu ontem foi um autêntico roubo, um assalto e algo que pensei que já não fosse possível de acontecer no futebol de hoje. Este roubo tem de ser punido, averiguado e temos de saber o porquê do mesmo roubo. O senhor árbitro não venha dizer que são erros humanos, mas tantos erros e sempre no mesmo sentido deixa de ser humano e passa ser premeditado.” – Dr. Mesquita Machado
Todas estas declarações, tanto do presidente do orgão máximo que tutela o futebol português, como as palavras do “manager” dos minhotos, dão muito que pensar e sem sombra de dúvidas que a PGR deveria tentar esclarecer tudo isto o mais rapidamente possível para bem da credibilização do futebol nacional.

Comentar