Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Lendas do Futebol #1: Dennis Bergkamp

Lendas do Futebol #1: Dennis Bergkamp

London 2006-07-22 Arsenal's Dennis Begkamp waves to the fans after his Testimonial match at Emirates Stadium, London. Photo: Nick Potts / PA-EMPICS / SCANPIX kod 419 ***BETALBILD***

Legenda: Jogo de despedida do Arsenal  Foto: Nick Potts / PA-EMPICS

O Herói de Highbury que tinha medo de voar. Poderia muito bem ser este o título da biografia de um dos mais ilustres jogadores que pisaram os relvados da Premier League. Falo claro do grande Dennis Bergkamp.

Formado na conceituada escola de talentos do Ajax de Amesterdão, Dennis cedo deu nas vistas e foi com naturalidade que se estreou, com apenas 18 anos, na equipa principal pela mão do ícone holandês Johan Cruyff. Numa equipa que contava também com um dos melhores avançados de sempre, Marco Van Basten. Na equipa da capital holandesa marcou 121 golos em 240 jogos, que contribuíram para a conquista de uma Taça das Taças, uma Taça UEFA, uma liga holandesa e duas taças holandesas.

bergkamp-ajax

Foram seis épocas a espalhar magia pelos relvados dos Países Baixos. Graças a essa magia, Dennis tinha já uma grande reputação a nível europeu e foi com naturalidade que partiu para outros vôos, mais concretamente para o Inter de Milão. Apesar de ter ganho a Taça UEFA na sua época de estreia, onde foi o melhor marcador ex-áqueo com Edgar Schmitt com 8 golos, a sua passagem por Itália não foi tão boa como seria de prever. O estilo defensivo das equipas do país da bota não se adequou ao estilo de jogo de Bergkamp.

dennisbergkampinter_412x232

A próxima paragem, a última e mais marcante, foi o Arsenal. Foi sobretudo aqui que o mito Bergkamp foi criado. O Homem dos golos bonitos formou com Thierry Henry uma das melhores duplas de avançados de sempre. Foram as principais figuras da lendária equipa do Arsenal que foi campeã sem derrotas (a única na história da Premier) na época de 2003/2004. Dennis foi descrito pelo obreiro do título, Arséne Wenger, como “o cérebro da equipa”, tal era a sua preponderância no seio da equipa.

Pelos Gunners, Bergkamp realizou um total de 422 jogos, tendo marcado 118 golos. Os números, devido à sua escassez, são bastante enganadores, uma vez que no Arsenal o holandês adoptou uma posição um pouco mais recuada no terreno, atrás do ponta de lança. Muitos dos seus antigos colegas no Arsenal o descreveram como o jogador mais inteligente que viram jogar, tal era a forma como parecia prever as coisas e de tornar simples aquilo se avizinhava complicado. A sua história na equipa de Londres acabou por ser imortalizada com uma estátua de bronze junto ao Emirates Stadium.

Não foi só a nível de clubes que Bergkamp se destacou. Pela seleção da Laranja Mecânica fez um total de 37 golos em 79 partidas, sendo o terceiro melhor marcador, atrás de Kluivert e Van Persie. O seu momento mais alto foi a participação no Europeu de 92, que se realizou na Suécia. Além de ter sido um dos melhores marcadores com 3 golos, figurou também no melhor onze da competição. A equipa da Holanda foi eliminada nas meias-finais pela equipa que haveria de ser campeã, a Dinamarca, nas grandes penalidades. O seu medo de andar de avião não lhe permitiu fazer vários jogos fora de casa para as competições europeias. Ainda assim, participou no Mundial de 94 nos Estados Unidos, mas partiu para a competição um mês antes dos colegas, devido à morosa viagem que teve de fazer de barco.

Na retina dos adeptos, que tiveram o prazer de vê-lo jogar, ficaram certamente os seus incríveis golos. Quase todos ao ângulo e de chapéu. Bergkamp não sabia marcar golos feios.

Aqui ficam alguns dos seus melhores momentos:

Comentar