Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

O que esperar da CAN? – Grupo A

,
Futebol / O que esperar da CAN? – Grupo A

A Costa do Marfim, Argélia e Senegal entravam como principais favoritos à conquista da prova, será que isso mudou depois da primeira jornada? Começamos com a análise ao grupo A.

O Gabão, país organizador da prova, arrancou a competição com um empate frente à Guiné-Bissau, já para lá dos 90 minutos. A selecção orientada por José Antonio Camacho tem Aubameyang como ponta-de-lança e principal estrela e conta com a ajuda de Mario Lemina, médio da Juventus, e Didier Ndong, médio do Sunderland. Jogando em casa e apesar do empate inaugural, o Gabão tem boas hipóteses para passar o grupo (onde conta com Camarões, Burquina Faso e Guiné-Bissau) e quiçá chegar às meias do torneio, dependendo do sorteio para os quartos-de-final, caso se apurem.

A equipa dos Camarões não é a melhor da sua história, mas ainda assim apresenta alguma qualidade no plantel. Começando na defesa, Hugo Broos tem ao seu dispor Nicolas N’Koulou, central do Lyon, que tal como Aboubakar, ex-Porto e atual Besiktas, não fizeram nenhum minuto no primeiro jogo dos camaroneses. Quem acumulou alguns minutos foi Edgar Salli, extremo conhecido do campeonato português, onde jogou pela Académica em 2014/15. No ataque, a dupla Moukandjo-Aboubakar pode dar frutos, porém o selecionador belga preferiu atuar com Moukandjo e Zoua no primeiro jogo.

A seleção do Burquina Faso, orientada pelo português Paulo Duarte, ainda que outsider, pode mesmo dar frutos no Campeonato Africano de Nações. A defesa é o ponto forte da seleção de Paulo Duarte, onde conta com a experiência de Bakary Koné, central do Málaga ex-Lyon, e Steeve Yago, central do Toulouse onde já fez 18 jogos na presente temporada. Charles Kaboré, trinco que já passou pelo Marselha e atua agora no Krasnodar, é o capitão e pode também ser utilizado na lateral direita da defesa. Bertrand Traoré é o nome com mais destaque desta seleção, não fosse o jovem extremo apontado como um dos maiores talentos no futuro (está emprestado ao Ajax, uma das melhores academias do mundo, e fez escola no Chelsea). Há ainda Bouba Saré, que se mostrou em evidência no Vitória SC em 2015/16. Em suma, apresentam um coletivo forte e o facto de Paulo Duarte ter passado muito tempo à frente desta seleção (ainda que com interrupções) podem levar à repetição do feito do Burquina Faso, que esteve na final da CAN em 2013.

A fechar o grupo, a Guiné-Bissau, estreante na CAN, pode dificultar a tarefa aos favoritos Camarões e Gabão (contra quem já empatou) e entrar mesmo na luta pelo apuramento. Conta com muitos nomes conhecidos dos portugueses e alguns deles com qualidade suficiente para levarem a Guiné-Bissau à próxima fase.

Os jogadores: Jonas Mendes, guarda-redes do SC Salgueiros que passou toda a sua carreira em Portugal (jogou pelo Amora FC, SC Beira-Mar, Atlético CP, SC Vianense e FC Vizela); Tomás Dabó, lateral direito do FC Arouca com escola no SC Braga; Juary Soares, central do CD Mafra com formação no Sporting CP que já passou pelo SU 1º de Dezembro; Rudinilson Silva, central do Lechia Gdansk que fez a sua formação no SL Benfica; Agostinho Soares, lateral esquerdo do Sporting da Covilhã; Zezinho, trinco formado no Sporting CP; Francisco Júnior, formado no SL Benfica e que até 2016 teve contrato com o Everton; Nani, médio centro do FC Felgueiras; Toni Silva, formado no SL Benfica e que passou pelo União da Madeira em 2015/16; Abel Camará, avançado do CF os Belenenses; João Mário, avançado do GD Chaves; Rui Dabó, guarda-redes do CD Cova da Piedade que passou pelo CD Pinhalnovense, Caldas SC e Vitória FC; Eridson, central do SC Freamunde que fez toda a carreira em Portugal; Mamadu Candé, lateral esquerdo do CD Tondela que já representou também o Portimonense SC, Clube Desportivo das Aves, CF Benfica e SU 1º de Dezembro; Saná, médio do Académico de Viseu FC com escola no SL Benfica; Sami, avançado que atuou sempre em Portugal até 2015/16 e que tem contrato com o FC Porto; Aldair Baldé, avançado do SC Olhanense que fez toda a sua carreira no FC Penafiel; Frédéric Mendy, ponta-de-lança que já passou pelo GD Estoril Praia, Moreirense FC e União da Madeira; Piqueti, avançado do SC Braga B.

Comentar