Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Real Sport Clube 0-3 Benfica | Uma boa oportunidade para Rui Vitória tirar notas

Real Sport Clube 0-3 Benfica | Uma boa oportunidade para Rui Vitória tirar notas

O Benfica apresentou-se com uma equipa secundária, tendo Jonas, Fejsa e Rafa ficado inclusivamente fora da convocatória.

Num jogo que, à partida, não parecia revestir-se de grande dificuldade para os pupilos de Rui Vitória, o Benfica venceu o Real Sport Clube por contundentes 3-0. No primeiro tempo, os encarnados não estiveram particularmente inspirados, mas a entrada de Gonçalo Guedes no início da segunda parte revelou-se essencial para o desfecho da partida favorável às águias.

Franco Cervi revela estar cada vez mais adaptado ao futebol português

O desafio começou com uma toada morna e com os encarnados a dominarem, naturalmente, a posse de bola, aspeto que, de resto, foi uma constante ao longo dos noventa minutos. Apesar da supremacia em termos estatísticos, esta era exercida de um modo algo passivo pelo emblema da Luz, que revelou algumas dificuldades em chegar à baliza contrária nos instantes iniciais, muito devido à coesão defensiva evidenciada pelo conjunto do Campeonato de Portugal.

Com o passar dos minutos, cavou-se o fosso entre as equipas, tendo os encarnados subido no terreno e começado a revelar uma maior capacidade para desenvolver jogadas, o que muito se deveu à criatividade de Živković e, principalmente, de Cervi, ele que continua a surpreender até os mais otimistas pela sua rápida adaptação ao futebol português. Consequentemente, os encarnados até poderiam ter chegado à vantagem antes do intervalo, não tivessem desperdiçado duas ocasiões flagrantes para marcar. Pelo meio, o Real ainda assustou num dos poucos ataques que realizou após os vinte minutos de jogo.

Não obstante o crescimento verificado ao longo da primeira metade, Rui Vitória não estaria, certamente, satisfeito com o rendimento da sua equipa, pelo que foi perentório ao retirar de cena um desinspiradíssimo André Carrillo para dar lugar a Gonçalo Guedes na equipa. Com o internacional português em campo, o Benfica foi muito mais capaz de criar perigo, o que teve sobretudo a ver com a forte ligação entre meio-campo e ataque que o recém-entrado providenciou à equipa e que veio contrastar com a contribuição praticamente inexistente do peruano, nos minutos que esteve em campo.

André Carrillo esteve, novamente, em péssimo plano

Assim, foi com naturalidade que os encarnados, coadjuvados pela diminuição de intensidade por parte do seu adversário, chegaram à vantagem, após um canto batido na esquerda a que Mitroglou soube responder com um bom cabeceamento, tirando partido da desatenção do Real na abordagem ao lance. A partir do primeiro golo, tudo se tornou mais fácil para a turma de Rui Vitória, que passou a conseguir penetrar com maior facilidade na defesa contrária. Apesar de tudo, as águias teimavam em não encontrar o caminho para o golo da tranquilidade, o que, logicamente, mantinha o Real ligado ao jogo, sempre na expetativa de conseguir aproveitar um contra-ataque para restabelecer a igualdade.

Deste modo, foram várias as chances desperdiçadas, até que, aos 81 minutos, Kostas Mitroglou ampliou a vantagem, através da conversão de uma grande penalidade assinalada após falta sobre Gonçalo Guedes.

Até final, ainda houve tempo para mais um golo, apontado pelo então recém-entrado Raúl Jiménez, que deu maior expressão a esta vitória que permite aos tricampeões nacionais avançarem para os quartos de final da Taça de Portugal.

Em suma, pode falar-se de um Benfica mais forte na segunda parte do que na primeira parte, sendo de destacar as exibições de altíssimo nível de Samaris, Cervi e Živković, todos eles atletas que contribuíram em larga medida para mais um triunfo encarnado. Para além disso, há ainda que referir a estreia oficial pela equipa principal do lateral esquerdo de 19 anos Yuri Ribeiro, bem como o regresso à competição de Jardel, que estava ausente dos relvados há já três meses, o que constitui uma boa notícia para o técnico do Benfica, que passa, assim, a poder contar com um dos esteios do plantel de agora em diante. Negativamente, torna-se impossível deixar passar em claro a péssima exibição de Carrillo, que continua a desperdiçar oportunidades e que tarda em afirmar-se.

Alcançada a passagem à próxima fase da prova rainha do futebol português, o Benfica aponta agora baterias à Amoreira, onde defronta, no próximo sábado, a partir das 20:30, a equipa do Estoril.

Este fim de semana, o Benfica visita o Estoril, num jogo onde deverá contar com o forte apoio dos seus adeptos

Comentar