Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Sporting CP – A luz ao fundo do túnel

Sporting CP – A luz ao fundo do túnel

Como todos percebemos o Futebol é um jogo colectivo. Como todos deveríamos perceber, dentro do mesmo, também existem “pontes de criatividade individual”, que objectivam um jogar colectivo. Essa ligação não pode ser extrapolada, é dela que nasce a Interacção entre os elementos, tal como a conjugação destes com os diferenciados momentos de um jogo de Futebol.

Hoje, no Sporting CP x FC Vaslui, ficou mais que demonstrado de que forma esse elo pode ganhar um jogo. Vou referir-me somente aos golos do encontro… e que golos!

No primeiro, Matías com uma acção técnica de mestre, “tira quatro defesas do ecrã”, esperou até ao momento certo e deu para Evaldo encostar. Ao todo, e contando com o Guarda – Redes, num simples lance (de Génio), conseguiu “varrer” sete defesas de uma só vez.

No segundo golo… mais do mesmo! Aproveitando o mau posicionamento defensivo da equipa Romena, Carrillo com mais uma “ova”, deixa dois adversários para trás, onde se seguiu uma excelente finalização de Matías.

Contudo, e esquecendo a “maldade” inerente a este género de acção, o que nos fica na retina?

Para mim, e de uma forma clara, a importância que a Criatividade pode e deve ter em todo o jogo. Estes foram momentos que resultaram em golo, existiram no entanto, outros, igualmente criativos, que serviram para… jogar (percepcionar, entender, resolver)! Na minha opinião, a criatividade não deve ser condicionada a espaços ou a momentos. Deve sim, ser desenvolvida em todo o espaço a todo o momento, o que é substancialmente diferente. Pensar em criatividade só através de “dribles”, “túneis” ou “últimos passes”, é não perceber o que é ou para que serve, embora a mesma também possa emergir de tais acções. O jogo é um aglutinar de situações – problema, e a sua resolução deve ser entendida com um “pensar aberto”, sustentando este com representações e referências de padrão abrangente (organização), mas num cariz de Liberdade, onde o resultado (da acção) seja perspectivado de um modo comum, independentemente do meio utilizado para o conseguir.

Essa é a verdadeira luz…aquela que se vislumbra através deste dois fabulosos “túneis”!

Comentar