Register  /  Login

O Blog do Futebol em Portugal

Futebol / Vukcevic: “Culpam-me sempre a mim!”

Vukcevic: “Culpam-me sempre a mim!”

Simon Vukcevic é um jogador diferente. A linguagem do típico futebolista do “vou trabalhar para ajudar a equipa” ou “temos de levantar a cabeça” não é para ele.

O médio do Sporting, que entrou no início da segunda parte do jogo com a Naval para ajudar a resolver a partida, tem o coração ao pé da boca e após o desafio “explode”, reclamando contra alegadas injustiças que têm sido cometidas pela imprensa contra ele.

Deixem-me trabalhar em paz para jogar aqui ou noutro lado! Estão sempre a aparecer histórias nos jornais, a dizer que não joguei bem ou que fui o culpado disto e daquilo! Culpam-me sempre a mim, é mais fácil! Por favor, parem com isto, já é suficiente!”, começa por referir em tom emocionado, na zona mista.

O montenegrino não se fica por aqui. “Passaram-se muitas coisas nestes três anos e meio, saíram muitas coisas nos jornais, mas se calhar não fiz dez por cento dessas coisas. Mas quem sou eu comparado com o clube e com os jornais? Culpam-me sempre a mim!”, vinca.



Vukcevic teve grande influência na vitória leonina, ao apontar o livre do qual resultou o primeiro golo. Ao festejar, fez uma vénia na direcção da claque Juventude Leonina e explica porquê. “Quero agradecer aos adeptos, estão sempre comigo. Se fui determinante para a vitória? Não sei, quero é agradecer aos adeptos”, destaca.

O médio não tem qualquer problema em dizer que detesta ficar de fora da equipa. “É uma pena não poder jogar mais. Podia ser mais importante para a equipa”, frisa. Não se pense no entanto que esta afirmação constitua uma crítica ao treinador. “Nunca tive problemas com o Paulo Sérgio, que é um grande treinador e um grande homem. Confio muito nele, mas nunca vou estar satisfeito quando não jogo, mesmo que o treinador seja o meu pai! Não gosto quando fico de fora”, atira.

E mais uma vez, defende que tem sido alvo de muitas injustiças. “Acho que chegou a hora de pararem com estas coisas. Deixem-me trabalhar, isto não é bom para ninguém! Sou de um país pequeno [n.d.r: Montenegro] e tenho de lutar sozinho contra tudo e contra todos. Não é justo o que me fazem”, refere.

A terminar, Vukcevic recorda uma declaração que proferiu na primeira temporada de leão ao peito. “Só pedi uma vez para jogar. Marquei 14 golos! Chega de ser sempre o primeiro culpado! Obrigado”, diz a terminar, saindo de seguida da zona mista.

Comentar